Entrevista do comeback BE do BTS - Jin



Jin: “Parece que minhas memórias do ARMY foram um sonho”

Entrevista do comeback BE do BTS

26.11.2020



Jin está calmo e quieto durante toda a entrevista. Mas, embora suas palavras comecem a soar como as de uma conversa cotidiana, logo começam a contar a história de um protagonista no drama intrincado que é o BTS.


Você trabalhou na letra de “Stay”. Jin: A música começa com as palavras, "Foi um sonho?" e eu vim com o tema. Costumávamos ver nossos fãs e era ótimo, mas agora isso é algo que não podemos mais fazer. Achei que tudo parecia um sonho. Eu queria dizer: “Éramos muito felizes juntos, mas agora sinto que sua existência era um sonho”. Eu criei essa introdução e falei sobre isso com RM. Ele realmente me ajudou muito.


Suponho que você criou a letra por causa do COVID-19. Jin: Foi há cerca de dois ou três meses que escrevi a letra da música, quando parecia que a situação do COVID-19 não estava melhorando. Quero fazer outro show e, como eu disse, parece que minhas memórias do ARMY foram um sonho: Ah, eles sempre estiveram conosco e depois desapareceram como uma memória - foi tudo um sonho? Será que algum dia nos encontraremos novamente? Esses tipos de pensamentos.


Parece que você teve dificuldade em se acostumar com esta nova situação.

Jin: Sim. Isso costumava fazer parte da nossa vida por anos, então parecia que uma parte da minha vida havia desaparecido. Quando tínhamos uma agenda lotada para lidar, às vezes eu pensava que seria divertido não ter emprego, mas quando esse trabalho não estava mais lá, não importa o que eu fizesse, mesmo que eu me dedicasse, tudo se tornava sem sentido muito rapidamente. Eu me sentia inseguro quando não tinha o que fazer, pois estou tão acostumado a estar ocupado, e a insegurança me fazia pensar mais nas coisas que gosto e no que devo fazer para ser mais feliz, além do trabalho.



Você diria que isso foi incorporado ao seu trabalho em BE? Só de olhar para as fotos do álbum, podemos ver cada um de vocês expressando seus próprios pensamentos através do design de seus quartos. Jin: A minha era a sala de joias. Eles me perguntaram que tipo de conceito eu queria para o meu quarto. Pensei no que queria fazer e eu queria utilizar joias. Eu estava me imaginando deitado com pedras preciosas ao meu redor, mas V, que era o diretor visual, achou que eu estava brincando no início. (risos) "Você deveria decorar o quarto, o que quer dizer com joias?" Mesmo assim, essa é a imagem que eu tinha em mente, então escolhemos esse conceito, exceto que não estava cheio de joias como eu imaginava. Mas eu realmente me destaquei na foto, então estou satisfeito com o resultado.


Por que você escolheu joias? Jin: Bem… eu tenho uma personalidade livre, do tipo de fazer o que quiser e, na época, estava realmente intrigado com joias, então foi isso que escolhi. Este ano, com a pandemia, tive mais tempo para pensar sobre o que quero e as coisas que quero fazer e para experimentar coisas novas, como tocar piano, jogar, não jogar, conhecer pessoas diferentes. Mesmo assim, não consigo dizer do que realmente gosto. Acho que nunca pensei muito sobre mim, além da parte do trabalho. A melhor resposta que encontrei foi fazer tudo o que estou interessado no momento; é ser o mais verdadeiro comigo mesmo. Sou mais uma pessoa que sente, não um pensador. Alguns podem dizer que eu deveria ter um plano para o meu futuro, mas não tenho nenhum. (risos) Eu pensei que realmente só faço o que quero.


Então, o que significa fazer o que quiser?

Jin: Como eu disse, sou alguém que literalmente vive apenas no presente, então tendo a esquecer o passado e não me estresso com o futuro. Sei que não esquecerei momentos importantes que passei com outras pessoas, mas esqueci todas as coisas ruins que aconteceram no passado e os tempos difíceis que passei, e estou muito satisfeito com minha vida agora e feliz estar trabalhando duro. Como alguém pode se sentir feliz continuamente por algo que aconteceu no passado, não importa o quão bom seja? Você pode ficar mais feliz ao encontrar 10.000 won no chão agora do que ganhando 100 vezes mais que isso no passado. Acho que estou vivendo fiel aos meus sentimentos ao viver no agora, em vez de pensar no futuro ou no passado.



Mesmo que você diga que faz o que quiser, não há coisas com as quais você ainda precisa ter cuidado já que faz parte do BTS? Jin: Existem coisas que devem ser seguidas como regra, como não passar no sinal vermelho, por exemplo. Porque se você fizer isso, pode haver um acidente. Essas coisas eu coloquei de lado como coisas que não deveria fazer, então nunca pensei realmente em querer fazer.


Isso soa mais como autodisciplina. (risos) Jin: É o mesmo que não cruzar o sinal vermelho se não quiser se machucar. Posso me manter feliz vivendo no presente, contanto que não esteja fazendo nada que não deveria estar fazendo. Alguns podem se sentir um pouco frustrados, mas também podem ser o tipo de pessoa que atravessa no sinal vermelho. (risos)


A música “Dis-ease” captura os pensamentos de cada um dos membros do BTS sobre o trabalho. É especialmente difícil para você, em particular, separar o trabalho da sua vida pessoal? Sua vida é influenciada por seu trabalho.

Jin: Para mim, o trabalho faz muitas coisas acontecerem na minha vida. Claro que há momentos em que me sinto estressado por causa do trabalho, mas o trabalho que faço me deixa feliz e me proporcionou experiências espetaculares. Às vezes é interessante, outras vezes pode ser exaustivo. Acho que sinto todo um espectro de emoções graças ao meu trabalho. Eu conduzo minha vida da maneira que conduzo por causa do meu trabalho, por assim dizer.



Assim como você, os outros membros também expressaram no BE seus sentimentos sobre o que eles passaram. Além de “Stay”, com quais outras músicas você se identifica? Jin: Eu realmente não pensei sobre com quais músicas me identifico, mas posso dizer qual música eu mais gosto: “Blue & Grey”, do V. Gostei daquela música desde a primeira vez que a ouvi, então ouvi a demo várias vezes.


Como era a versão demo? Jin: Quando V fez pela primeira vez e me deu, ainda não tinha a parte do rap. Não havia linhas para o rap ainda, mas soou realmente único. Apenas o instrumental estava lá para aquela parte e parecia que era hora de pensar por mim mesmo. Claro, eu gosto da versão completa com o rap também, mas mesmo assim, gostei de como havia um espaço que te fazia pensar. Já faz muito tempo desde tive essa sensação ao ouvir uma das demos. O primeira foi "Spring Day" e o segunda vez foi com "Blue & Grey".


Parece que você achou a música certa quando precisava de algum tempo para pensar.

Jin: Sim. Antes do nosso debut, eu tinha um objetivo claro: debutar. Eu persegui esse objetivo. Depois que debutamos, eu estava atrás de um hit que nos conseguisse o número um, e depois de conseguirmos o número um, eu estava atrás de prêmios importantes. E depois disso houve muitos outros prêmios, como o da Billboard, e apresentações para fazer, mas não era um objetivo no mesmo sentido de como era meu objetivo estrear. Estou muito feliz por estar trabalhando. Cada momento é maravilhoso e se tornaram minha vida inteira. Não era assim que me sentia quando era um trainee, porque tinha um objetivo sério na época. Mas agora, meu objetivo é viver sem pensar demais em nada. Talvez não seja realmente um objetivo, mas uma espécie de mecanismo de defesa.



Um mecanismo de defesa? Jin: Conforme você começa a pensar, pode de alguma forma se prejudicar. Então, contanto que eu não pense muito, posso trabalhar bastante agora. Talvez seja por isso que o chamei de mecanismo de defesa: Se eu parar e pensar sobre isso, terei muitas maneiras de me rebaixar.


Mas se você imaginar que outra pessoa realizaria as mesmas coisas que você, ela não pensaria que merece sentir orgulho? Jin: É verdade, mas também sou um dos sete membros do BTS. Pensar no que fiz como indivíduo parece um fardo para mim. Até terminarmos de trabalhar no Map of the Soul: 7, eu não estava sobrecarregado, mas senti: “Tudo bem, todos nós fizemos um bom trabalho. Estou feliz com isso.” Mas depois de colocar "Dynamite" no topo do Top 100 da Billboard e começar essa nova estrada, comecei a me perguntar se eu mereço isso.


Mas você já passou por muitas coisas importantes antes. O que o fez pensar assim desta vez? Jin: Eu estava esperando a posição nos charts sair o dia todo e, antes de dormir, Namjoon enviou uma mensagem para nosso chat em grupo. Foi quando percebi que éramos o número um! Fiquei muito feliz, mas algo parecia diferente. Talvez fosse porque não podíamos ver nossos fãs. Depois de “Dynamite”, recebemos ainda mais amor de ainda mais pessoas e, mesmo quando eu estava andando na rua, as pessoas diziam coisas como “Sou um grande fã seu” ou “Obrigado por apresentar a Coreia para o mundo." Então comecei a pensar: “Eu mereço todos esses parabéns e amor? Não sou eu - não sou esse tipo de pessoa.” Superei um pouco, mas mesmo até alguns dias atrás, a pressão era tão intensa que eu não conseguia trabalhar.



Como você se afastou de toda essa pressão? Jin: Eu só segui em frente. Com o COVID-19, todos nós temos que esperar e ficar parados até que tudo melhore. E na verdade, depois que “Dynamite” chegou ao primeiro lugar, ficamos muito ocupados, então fui capaz de pensar menos sobre outras coisas e basicamente evitá-las dessa forma, todas aquelas questões sobre a vida. Acho que foi assim que suportei.


Se você tivesse os fãs lá com você, talvez você tivesse sentido menos pressão ou preocupação. Talvez faça o que você está fazendo agora parecer incompleto em comparação com o passado. Jin: Fizemos muito e trabalhamos tanto, mas o resultado não atinge você da mesma maneira, não é? A - animação, talvez? - não está exatamente aí. Há uma grande diferença entre performar para as pessoas e para a câmera. A performance em si também é difícil, é claro. Tenho que continuar ela por meses depois de começarmos. Mas quando dançamos para as pessoas, me sinto vivo.


Se você pudesse tocar “Dynamite” no palco para seus fãs, você provavelmente teria sentido mais amor e mais confiança por estar em primeiro lugar. Jin: Eu quero parecer e fazer o meu melhor na frente dos fãs, não importa o que aconteça. É muito mais divertido quando nossos fãs estão lá, bem na nossa frente. Não estou pensando em mais nada quando eles estão lá conosco. Para as pessoas que não performam como nós, quando se divertem, não pensam em muito mais e apenas se concentram no que estão fazendo. Acho que somos da mesma forma quando nossos fãs estão por perto. Não preciso pensar em mais nada, porque meus fãs estão bem na minha frente. Eu apenas me divirto e esqueço todo o resto.


Esperamos que você sinta que tudo voltou ao normal assim que puder ver seus fãs novamente. Jin: A princípio pensei que provavelmente choraria lágrimas de alegria. Mas será? Eu acho que não. No começo eu realmente pensei que sim, mas agora acho que seria como voltar para casa. Depende de para quem você pergunta, mas não acho que a maioria das pessoas choraria só porque voltou para sua cidade natal depois de estar fora. Acho que é assim que vou me sentir: como se estivesse de volta onde eu deveria estar.



Falando com você, parece que a sensação de ser amado por seus fãs deve ser importante para você, emocionalmente. Jin: Você está certo. Receber o amor dos fãs foi minha fonte de felicidade - com o que posso comparar? Como uma criança que sempre recebeu amor de seus pais, mas então os pais de repente partem em uma viagem de negócios por uns dez meses. É mais ou menos assim. Eu estava sempre tentando fazer nossos fãs sorrirem, fazer eles se sentirem bem, agindo de forma fofa, mas agora meus pais estão viajando para negócios há dez meses, e eu estou tentando ser fofo durante uma chamada de vídeo. É assim que parece. Então, por favor, encerre sua viagem de negócios o mais rápido possível, e se apresse e volte para casa para que eu possa mostrar de novo como sou fofo! E, para o COVID-19: Por favor, dê o fora. (risos)


Tradução: Dani

358 visualizações